Fotografia e além

A exposição Fotografia e além, colocou em diálogo seis percursos que têm a imagem fotográfica como eixo de pesquisa, através das suas diferentes práticas: fotografia impressa, colagem, reapropriação, vídeo,etc. Ela pretendeu investigar as diversas formas que a imagem fotográfica pode se manifestar, questionando assim a sua essência, limites e conexões. As obras reunidas fazem emergir tanto questões inerentes às potencialidades do meio fotográfico quanto às conceituais que lhe são relacionadas. 

 

imagens_todos.jpg

Daniela de Moraes , através da sua série Arquitetura do esquecimento (2015), reconstrói novas estruturas formais a partir de uma pesquisa sobre a memória e a capacidade do meio fotográfico de reordenar o real através do seu recorte e descontextualização. A obra que resulta, em sua aparente neutralidade e minimalismo, é uma potente e silenciosa resposta visual às camadas  afetivas e temporais subjacentes.

Elcio Miazaki, na série Offereço-te (2015/2016) se serve da fotografia como suporte visual às suas intervenções. Através de colagens, pintura, costura e apropriações, ele a transforma em uma superfície a ser explorada, alargando assim suas fronteiras e conectando a imagem fotográfica a outras práticas artísticas. Sua obra questiona a identidade, os arquétipos masculinos e a memória.

Para Lucas Eskinazi & Nina Guedes a fragmentação da imagem e sua descontextualizaçao conferem forma a um registro íntimo, subjetivo,  de exploração do mundo. Esta prática se afasta de uma concepção unificadora da fotografia, para se mostrar sob a forma de uma constelação que se abre a infinitas configurações. Aqui o espaço doméstico potencializa essa dispersão e a força da imagem enquanto enigma.

Em Ruptura e bloqueio Lula Ricardi trabalha a construção de narrativas a partir do registro fotográfico direto e frontal.  Esse registro do mundo, ancorado na tradição da fotografia documental, aqui é subvertido para transformar a imagem fotográfica em suporte a suas elaborações poéticas e índice a ser livremente desvendado.

A série Desnudamentos (2016/2017) de Thiago Navas questiona a representação do indivíduo na fotografia. Como o contexto, em uma imagem fotográfica, nos coloca em categorias sociais e de poder? Através de intervenções (escavações seria a palavra mais exata) em imagens apropriadas ele as esvazia de toda referência temporal e material. O que resta são gestos, traços e fragmentos,  suficientes para construir novos sentidos.

Ao conectar essas diferentes práticas artísticas Fotografia e além pretende repensar o sentido contemporâneo da imagem fotográfica e seus desdobramentos em um tempo em que que tudo parece já ter sido fotografado.

                                                                            Eder Ribeiro          

 Nov. 2017  

                                                                                                                                                       

[1] A exposição Fotografia e além faz parte do projeto Esquina, uma iniciativa que busca interligar diferentes trajetórias artísticas e ao mesmo tempo resignificar um espaço privado: um apartamento habitado transformado momentaneamente em espaço de experimentação, esquina de encontro, troca e descoberta em torno das artes visuais. Na origem desta iniciativa se encontra o desejo de estabelecer novos canais de difusão da produção artística e de pesquisa curatorial.

Eder Ribeiro: curadoria, expografia e produção; Renata Rosa: assistente de curadoria, comunicação e produção

 

 

                                                                                                                                                  

 

 

 

 

 

 

 

 

Eder RibeiroComment